See other templates

Estrutura do Setor

 

A INFLUÊNCIA DO AMBIENTE E DO ESPAÇO DA SALA DE AULA PARA AS INTERAÇÕES E AÇÕES EDUCATIVAS

 

Estrutura do setor – ESFRA JÚNIOR

 

“O espaço, assim como o ambiente que nele se constitui, reflete o que se pensa, o que se quer e o que se pode fazer nele. Em uma casa, a organização do espaço indica o modo de vida de quem a habita, suas preferências, interesses e hábitos. Da mesma forma, em uma escola, essa organização revela a concepção educacional e a postura pedagógica dos professores que trabalham nesse espaço. O professor italiano Enrico Battini, da área de Arquitetura, citado por Forneiro5, escolheu um estilo, até mesmo poético, para explicitar o que entende sobre a relação entre a criança e o espaço: ‘Para a criança, o espaço é o que sente, o que vê, o que faz nele. Portanto, o espaço é sombra e escuridão; é grande, enorme ou, pelo contrário, pequeno; é poder correr ou ter de ficar quieto, é esse lugar onde ela pode ir para olhar, ler, pensar’.

Na Educação Infantil, a sala de aula, em particular, e a escola, como um todo, devem se constituir em um ambiente singular e revelador da identidade daquele grupo – professor e crianças – que o ocupa.

 

(Em:  http://www.educacional.com.br/spe/pdf/PPedagogica/2011/EIg31.pdf. Acesso em: 20 de janeiro de 2011)

 

Objetivos

De forma geral, o MDP de Educação Infantil busca dar oportunidades para que a criança possa:

ampliar sua capacidade de autoconhecimento e, consequentemente, de se comunicar e interagir socialmente, estabelecendo vínculos afetivos positivos com outras crianças e adultos;

apropriar-se dos conhecimentos e bens culturais constituídos historicamente, utilizando as diferentes linguagens (corporal, oral, escrita, plástica, musical, matemática) e construindo significados que lhe permitam elaborar e reelaborar essas aprendizagens.

 

Faixa Etária

Grupo 3 – crianças de três anos

Grupo 4 – crianças de quatro anos

Grupo 5 – crianças de cinco anos

Organização curricular

É essencial refletir, na organização curricular, acerca do que realmente se constitui um meio

de desenvolvimento, ou seja, quais serão, como serão ou, ainda, como deveriam ser as práticas cotidianas que promovem o desenvolvimento da criança. O desenvolvimento acontece no conjunto das atividades vivenciadas, tais como: negociação e construção coletiva de regras e normas que regulam as situações didáticas e as ações cotidianas; interação com crianças da mesma ou de outra faixa etária; interação com adultos; manipulação de objetos ou materiais disponíveis; ação da criança sob a intervenção de um adulto; experiências com situações novas, conflituosas e desafiadoras; etc. É importante considerar, nesse conjunto, algumas condições necessárias para que haja o desenvolvimento, como, por exemplo, a qualidade de atividades que devem ser estimuladoras e significativas, que sejam interativas no intuito de se construírem novos significados, que as atividades ainda possam ser produtivas, para que a criança, por meio delas, relacione-se com o mundo e o compreenda. Além das atividades e das ações, os diálogos e as conversas devem provocar o pensamento, levando a criança à reflexão, ao estímulo e ao desafio.

O MDP de Educação Infantil é destinado às crianças de três a cinco anos. O Positivo, na busca da construção de uma proposta pedagógica, faz a opção por uma organização curricular, para essa faixa etária, que tenha como base a mediação entre a relação da realidade sociocultural das crianças (meio social em que estão inseridas, valores sociais e concepção social) e a realidade social mais ampla, trazendo novos conceitos, valores e o conhecimento de mundo. Segundo as concepções adotadas no MDP, é preciso respeitar as necessidades e os conflitos do meio próximo da criança, buscando reflexões sobre os problemas do cotidiano, usando de práticas educativas que incentivem a pesquisa, a troca, o diálogo e a representação das expressões pessoais.

O MDP tem como finalidade oferecer novas oportunidades de desenvolvimento por meio de atividades, ações educativas amplas, não obedecendo a modelos pedagógicos construídos por programas de formação profissional ou com base em experiências vividas. Acredita-se que toda ação educativa deve ser criticamente avaliada, para não resultar em práticas espontaneístas, centradas apenas na realização de tarefas e atividades, sem a busca de um objetivo que vise ao desenvolvimento das capacidades das crianças no que diz respeito aos aspectos cognitivos, afetivos, motores, sociais e linguísticos.

Corpo docente

Maria Rita – Grupo 2

Marineide Medeiros – Grupo 3

Elisângela  – Grupo 4

Cristiane Santos – Grupo 5

 

Coordenação pedagógica

Zelma Cristina Teles Ribeiro 

 

Áreas específicas

Educação Física

 

Conhecimentos privilegiados

 

Jogos simbólicos

– Jogos tradicionais

– Jogos de construção

– Jogos motores

– Jogos rítmicos

– Jogos perceptivos

– Jogos de faz-de-conta

Artes

Os temas, os saberes e os conhecimentos privilegiados para o ensino de Artes na Educação Infantil são:

A arte como expressão e comunicação dos indivíduos.

Os elementos básicos das linguagens artísticas, modos de articulação formal, técnicas, materiais e procedimentos na criação em arte.

Os produtores de arte: vida, épocas e produtos em conexões.

A diversidade das formas de arte e as concepções estéticas das culturas regional, nacional e internacional: a produção e suas histórias.

A arte na sociedade, considerando os artistas, os pensadores da arte, outros profissionais, as produções e suas formas de documentação, preservação e divulgação em diferentes culturas e momentos históricos.

Eixos: Artes Visuais, Teatro, Música e Movimento (Teatro e Dança).

 

Texto base: Proposta pedagógica do Material Didático Positivo (MDP). Disponível no Portal Positivo (www.portalpositivo.com.br/educadores.asp)

Visitantes

Temos 53 visitantes e sem membros em linha

Go to top